06 dezembro, 2016

6 on 6 (december 2016)







E, obviamente, o tema desse mês não precisou nem de votação, hehe.

Natal é a minha segunda época favorita do ano, atrás apenas do Halloween (o que posso fazer, sou apenas uma bruxa!). Aproveitei que os shoppings estão todos decorados e fui fotografar um deles e, para a minha surpresa, encontrei o Michey e a Minnie por lá! Fiquei muito feliz, tirei várias fotos e editei todas com um padrão: escuras, aquecidas e com contraste (mesmo eu tento explicado nesse post que não gosto de muito contraste). Achei que elas ficaram ~meio~ mágicas ❤

Ah, pra quem quiser virar um viajante do tempo e ver as fotos de Natal do ano passado, clique aqui. E a Nellie fez um post mostrando a decoração fofa dela!

Não se esqueçam de ver as fotos das fadas VivianPaulaÉrika e Amanda.

Obrigada por tudo, pessoal!

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI

04 dezembro, 2016

Segredos do País das Maravilhas - o que eles não te contaram


Todo mundo conhece a história da menininha que caiu numa toca de coelho, tomou um chá maluco e discutiu com um rainha tirana. Mas o que muitos humanos não sabem é que tem bastante coisa por trás desse livro.

Todo mundo que acompanha o blog também já sabe que eu sou bastante obcecada por tudo que envolve meu querido País das Maravilhas, tanto que eu eu estou sempre com a minha edição de bolso à mão, um caderno e uma caneta para fazer anotações. Depois de vários artigos lidos sobre tal universo (alguns muito bizarros!), eu tenho um repertório meio grande de curiosidades terrenas sobre esse clássico (tanto o do País das Maravilhas, quanto o do Espelho).

Já fiz um post no ano passado sobre o autor e as polêmicas envolvendo ele e Alice Liddell (clique aqui), então este post será focado apenas nas peculiaridades sobre os livros, nada sobre Lewis Carroll.

segredos


  • Nas ilustrações originais de John Tenniel, o Chapeleiro Maluco é retratado usando uma cartola gigante e com a inscrição 10/6. Ela representa o preço dos chapéus na época: 10 xelins e 6 péni! Ah, no século XIX a cola usava para fazer os chapéus era feita de mercúrio, e isso deixava seus fabricantes literalmente malucos hahaha.
  • Lebre de Março só se chama "Lebre de Março" porque foi em março que o Chapeleiro discutiu com o tempo e ficou preso na hora do chá para sempre.
  • Originalmente, o Chapeleiro Maluco e o Gato de Cheshire não existiam. Eles foram incluídos depois que a primeira tiragem foi recolhida das prateleiras por conta de um problema com os desenhos.
  • E falando em Cheshire, esse é o nome de condado bem pequeno lá na Inglaterra, e também um expressão britânica para pessoas que sorriem demais.


  • A Rainha de Copas é considerada uma caricatura da Rainha Vitória, mas o mais engraçado é que a própria gostava do livro, que também é visto como uma crítica à era vitoriana (elas realmente se parecem, e isso é estranho!). Eu até fui tirar dúvidas com meu professor de história, pra saber se a Rainha Vitória gostava de cortar cabeças, mas ele me disse que ela era apenas severa.


  • Ninguém sabe exatamente para quê o Coelho Branco está atrasado, mas a sua pressa é vista como a quebra da Alice com a realidade;
  • A Lagarta Azul (ou Absolem, pra quem só assistiu ao filme do Tim Burton) representa a transformação e tentação. Eu sempre soube disso! Quem leu O Lado Mais Sombrio também pensa assim que eu sei.


  • Depois que seu marido morreu e a família começou a passar dificuldade, Alice Liddell leiloou o manuscrito (As Aventuras de Alice em Baixo da Terra) que lhe foi presenteado pelo Lewis Carroll. Quando eu soube disso, eu fiquei totalmente sem reação :~
  • Eu li em algum anúncio, em algum lugar que eu não me lembro, que a menina que inspirou o autor a escrever Alice Através do Espelho não foi a mesma do primeiro livro. Faz muito tempo que eu tenho isso na cabeça, e eu posso até ter confundido as coisas. Então, se isso não for verídico, me avisem!


  • E, para encerrar, algo que ninguém deveria confundir: a Rainha de Copas e a Rainha Vermelha não são a mesmo personagem. A Copas é uma  carta de baralho, tirana, louca e que aparece no primeiro livro. A Vermelha é uma peça peça de xadrez, louca e uma das Rainhas do segundo livro, sem tendências assassinas, só um pouco confusa.

Recebe este conto de fadas









Estou com orgulho de mim mesma porque eu consegui deixar as fotos do post harmônicas.

Vocês sabiam dessas curiosidades? Tem mais alguma para me contar? 

Obrigado por tudo, pessoal!

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI

29 novembro, 2016

5 filmes com fotografias lindas

foto/reprodução: We Heart It
Eu sempre avalio um filme por três categorias: roteiro, trilha sonora e fotografia. Ok. eu não sou uma profissional, não tenho a mínima noção de cinema, mas eu ~acho que~ sei distinguir um filme bom de um filme ruim. Quero muito poder estudar cinema um dia, nem que seja só para ter um conhecimento básico sobre esse assunto que eu amo tanto!

Acho que uma das coisas que mais pesa para que eu goste muito de um filme é a fotografia (o que posso fazer? Sou apenas humana!). Vários filmes que eu vi ao longo da minha vida e que tinham roteiros horríveis acabaram não ganhando "zero" na minha avaliação por conta das imagens maravilhosas. 

Eu estava pensando em citar aqui no post os filmes O Fabuloso Destino de Amélie Poulain e Bonequinha de Luxo, mas, como eles já tiveram muito destaque no blog, vou tentar falar de filmes que nunca foram citados por aqui.

Desventuras em Série (2004)


Confesso que só assisti esse filme porque fiquei sabendo que a Netflix vai transformar os livros (que eu quero ler um dia) numa série original. Eu não sabia nada sobre a história, mas fiquei encantada com as aventuras desses três irmãos que vivem fugindo do Conde Olaf, o tutor malvado que quer se apossar da herança deles!

A fotografia é uma verdadeira preciosidade gótica em tons de cinza, sépia e preto, tudo isso combinado a um figurino lindo dos anos 40 *-* em algumas cenas eu não soube identificar o que era real e o que era feito em tela verde, porque o diretor de fotografia, Emmanuel Lubezki, fez um ótimo trabalho. Espero que a nova série siga o mesmo padrão sombrio!

Alice no País das Maravilhas (2010)


Tá bom, esse filme não é só citado na maioria dos posts aqui do blog, como também é uma inspiração para a minha vida, mas simplesmente não dava pra deixá-lo de fora dessa minha lista. A fotografia criada pelo Tim Burton é um tesouro de tão linda! Com a paleta cinza-azul, as cores sutis e o jogo de sombra e luz, meu troféu de melhor fotografia, filme, história... vai tudo pra ele ❤ o apego emocional teve participação nisso? Claro que teve haha.

Claro que o filme inteiro nos engana, porque tenho certeza que você achava que alguma coisinha nos cenários era de verdade... bom, não é! Praticamente o filme inteiro é gravado na tela verde, com os atores vestindo roupas verdes e os animais manipulados no computador. Mas isso não diminuiu em nada meu amor por ele.

Sobre Alice Através do Espelho, dirigido por James Bobin, não é preciso ser um crítico para perceber a mudança gritante da fotografia: está mais colorida e psicodélica. Mesmo eu tendo me apaixonada pelo filme, o mundo gótico do Tim Burton me agrada muito mais os meus olhos!

Questão de Tempo (2013)


Nessa comédia romântica britânica, conhecemos Tim, um rapaz que acabou de descobrir que os homens de sua família podem viajar no tempo (mais especificamente voltar ao passado). Ele decide usar essa habilidade para concrtar alguns erros e arrumar uma namorada. Depois de se mudar para Londres ❤ para trabalar como advogado, ele conhece Mary, uma garota fofa que trabalha como leitora de uma editora (editoras, me contratem!), e se mete em diversar situações inusitadas e engraçadas.

Além de a história ser uma das mais bonitas que eu já assisti, ter um protagonista extremamente cativante, uma trilha sonora linda e se passar no Reino Unido, a fotografia é uma preciosidade *-* o tom é meio vintage e esmaecido, com ângulos lindos e simples!

A Estranha Vida de Timothy Green (2012)


Cindy e Jim Green são uma casal que acabaram de descobrir que não poderão ter filhos. Para dar um fim a essa tristeza, eles colocam numa caixa as características do "filho" deles e enterra m no jardim. Durante a madrugada, um garoto todo sujo de lama chamado Timothy aparece em sua casa e começa a chamá-los de "pai" e "mãe". Logo eles percebem uma pequena peculiaridade nas pernas de Timothy, mas o aceitam como seu filho.

Além de trazer uma reflexão sobre coisas simples da vida, tratar de assuntos como família e amizade, o filme segue um padrão fotográfico outonal lindo, cheio de folhas e cores que variam entre laranja-vermelho-amarelo-verde.

Uma Professora Muito Maluquinha (2011)


É a primeira vez que eu cito um filme nacional aqui no blog, isso porque, no meu ponto de vista, muitos filmes produzidos aqui ficam na mesmice e não tem nada de original (como foi o caso desse filmes estrelado pela Kéfera!). Mas esse filme, especificamente, me fez rir e chorar. Ele é baseado no livro de mesmo nome do Ziraldo, que foi uma das primeiras obras que eu li e que me marcaram imensamente.

A fotografia é bem simples e clean, mas me passa um sentimento tão feliz! Os figurinos também são um amor e o cenário também é maravilhoso *-* acho que foi filmado lá em Diamantina (MG), uma das cidades mais bonitas que eu já visitei.


Tenho muitos filmes com fotografias lindas na minha lista de favoritos, a maioria é do Tim Burton hehe. Quais outros vocês me indicam? Se quiserem, faço um post com as minhas trilhas sonoras preferidas!

Obrigado por tudo, pessoal!

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI