28 fevereiro, 2017

Vamos criar um blogroll?

Foto: We Heart It
Há alguns dias eu conheci a Dani, uma pessoa muito fofa que sempre deixa comentários nos posts aqui do Memorialices *-* A gente começou a conversar e descobrimos muitas coisas em comum (amor por The Walking Deade, por exemplo), além de termos trocado indicações musicais. Tá, mas não é sobre nossas conversas que eu vim falar, mas sim compartilhar uma dica ótima que ela me deu!

Quem tem um blog na plataforma do Blogger sabe que dá para criar uma lista de blogs preferidos, mas só dá pra adicionar o link e olhe lá. Bom, fazia um tempo que eu queria um blogroll com fotos das minhas blogueiras favoritas e, graças à Dani, que me passou o link de um site onde eu poderia fazer isso, consegui criar um blogroll "bonitinho" hehe. Depois de receber a devida permissão dela, vim fazer um tutorial para vocês!

Como eu não queria um post cheio de prints da tela do computador, acabei criando um roteiro simples em um dos meu caderninhos enquanto assistia a um filme (que logo vai parecer em mais um post da categoria "filmes"). Ah, mas eu prestei atenção no filme também, minha nota de rodapé prova isso.

Aviso: a minha letra não está das melhores nas anotações, pode ter erro de português e os mini desenhos estão toscos, mas foquem no tutorial haha. Espero que não fique confuso!

Blogroll muito amor


Passo 1: hospedar a imagem 


Tem diversos sites e bancos de fotos que hospedam imagens, alguns até pagos, mas, pra mim, o jeito mais fácil de conseguir o url/endereço de uma foto é hospeda-la no blogger mesmo. Como?! É só criar uma nova postam, carregar a imagem e copiar o endereço dela. 

Importante: as imagens têm de ter o mesmo tamanho, e um jeito simples e um jeito simples de deixa-las todas iguais é redimensionar os pixels no Paint.

Passo 2: Image Mapper - criar o código HTML 

  • Cole o url da imagem em "image url" e clique em "load image";
  • Clique em "new link". Vai aparecer um quadradinho, que você vai posicionar em cima da imagem. Em "link" coloque o endereço do blog e em "caption, o nome do blog;
  • Clique em "make code" e copie o código que que aparecera no espaço amarelo; 

(eu disse que tinha nota sobre o filme que eu estava vendo hehe)

Passo 3: blogroll 


Acesse o blogger >> layout >> adicionar um gadget >> HTML/Java Script >> cole o código HTML das imagens que vão para o seu blogroll.

Dicas a parte 

  • Cole os códigos um ao lado do outro, dando um espaço para cada um. Para criar uma nova linha de imagens, dê enter uma vez;
  • Se quiser aumentar ou diminuir a imagem, altere o número que fica depois de "width=". Para encontrar esse código, tecle CTRL + F e na caixa de pesquisar digite-o;
  • Como vocês podem ver, eu coloquei 3 fotos para cada linha do meu blogroll, mas isso vai variar de acordo com o tamanho das suas imagens e da barra lateral do seu blog;

Quem está no meu blogroll?


Não que estar no meu blogroll seja a coisa mais legal do mundo, afinal meu blog não é tão conhecido. Mas as pessoas fofas que aparecem ali na barra lateral são blogueiras (pode entrar blogueiro um dia sim!) que eu vejo que tem o cuidado de fazer as coisas. Não é como muitos blogs (grandes e pequenos) que eu vejo por ai que dá até dó (leia esse texto para entender).



Eu não sou uma Einstein do HTML. Pra ser sincera, eu demorei tanto, tanto pra aprender a mexer que até hoje me confundo, mas coisas simples como essa do post, eu faço tranquilamente hehe. Se alguém tiver alguma dúvida ou precisar de ajuda, é só dizer nos comentários ou me mandar um e-mail. 

Deixem o link do blog de vocês para eu poder ver suas listinhas de blogs favoritos!

Isso é tudo, pessoal! Rainha Vermelha, 

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI

25 fevereiro, 2017

Últimos filmes que assisti #4

Foto: We Heart It
Eu achava que minhas férias iriam terminar, mas fiquei sabendo que as aulas só começariam em abril! Então eu vou aproveitar esse longo período para continuar assistindo filmes, lendo e, quem sabe, procurar um emprego numa livraria, porque não?

Nesses últimos dias eu, na maioria das vezes, vi filmes de terror e eu devo dizer que me decepcionei com a maioria. A Netflix precisa atualizar seu catálogo de filmes de terror urgentemente! Mas eu também vi alguns mais "normais" e super legais, e é por eles que vou começar :)

Cartas Para Julieta 


Eu sou uma grande fã de romances, tanto literários quanto cinematográficos (embora eu prefira assistir a ler). Cartas Para Julieta é um clássico que eu acho que todo mundo e mais um pouco de gente já viu, mas, claro, eu com a minha cabeça nas nuvens ainda não tinha visto. E olha que ele parecia estar me perseguindo na Netflix!

A história começa com Sophie numa viagem para a Itália com seu namorado que está mais interessado no seu futuro restaurante. Para se distrair, ela entra num grupos de voluntárias que responde cartas para Julieta. No meio de tantas cartas, ela encontra uma escrita em 1957 por Claire. Após Sophie respondê-la, Claire vai com seu neto até a Itália e os três juntos embarcam numa viagem e tentam encontrar o grande amor de Claire: Lorenzo.

Analisando com olhos mais críticos, eu diria que o filme é um grande clichê. Mas como eu não sou crítica e só queria assistir a um romance fofo, eu amei! A fotografia e a trilha sonora (Taylor Swift *-*) são uma preciosidade.

Jumanji 


Alan Parrish desapareceu quando era menino e ninguém acredita na história de sua amiga de que ele foi sugado por um jogo. Vinte e seis anos depois, duas crianças acham o jogo Jumanji no sótão e, quando começam a jogar, Alan é libertado. Mas o jogo ainda não acabou e Alan precisa terminar antes de ser realmente libertado.

Uma comédia para se ver em família. Eu e meus pais assistimos na TV depois de um dia cansativo e foram duas horas de muitas risadas. Além de ter uma história bem construída que envolvem um jogo misterioso, um caçador assassino e animais de grande porte correndo soltos por uma cidade e aquele tom bonito de filme dos 90's, tem Robin Williams como protagonista *-*

❤ A Pele Que Habito ❤


Esse filme, com certeza, vai para as listas de piores filmes que eu já vi e bizarrices ruins. Eu já havia ouvido centenas de críticas negativas e também um montão de pessoas dizendo que ele arruinou suas cabeças por ser perturbador. Eu não achei! O máximo de tempo que fiquei pensando nele foi meia hora. 

Quando eu li a sinopse, pensei se tratar de algum filme de horror sobre um médico psicopata que mantinha uma mulher presa em casa para deixá-la com a pele perfeita. E é quase isso, mas a trama é tão sem nexo e inimaginável (olha eu falando do inimaginável!), o filme é arrastado... enfim, é uma produção terrível.

Exter 


Patrick trabalha com o Padre Conway na limpeza e organização do outrora Asilo Exeter, que tem um passado de maus tratos contra jovens que foram seus pacientes no século passado. Sabe-se que houve denúncias, mortes diversas com o enterro em valas e um incêndio que acelerou o fechamento de suas atividades. A intenção do padre é transformar o local num espaço de recuperação de adolescentes problemáticos, como se, a princípio, ignorasse as tragédias ocorridas por lá. Contudo, os amigos de Patrick, estão com a ideia de realizar uma festa grandiosa no ambiente abandonado.

Obviamente alguma coisa dá errado nessa festa. É aquele típico clichê: um grupo de amigos decide fazer alguma brincadeira sobrenatural e acabam liberando uma força maligna. O filme teria sido uma grande produção do diretor  Marcus Nispel (o responsável por aquele remake terrível de O Massacre da Serra Elétrica), se não fosse o fato de o filme ser raso e ter um desfecho extremamente desconectado do restante da história. 

Como eu disse ali em cima, precisamos de novos filmes de terror na Netflix. 

Hush - A Morte Ouve 


A escritora Maddie Toung vive uma vida isolada desde que perdeu sua audição quando era adolescente, se colocando em um mundo de total silêncio. Porém, quando um rosto mascarado de um assassino psicótico aparece em sua janela, Maddie precisa ir além dos seus limites físicos e mentais para conseguir sobreviver.

Esse é um daqueles filmes que nos deixa em pânico. Além de a protagonista ser surda, ela está no meio do nada, sem celular, internet ou energia. Apesar de eu não ter entendido muito bem o porque de o assassino estar atrás dela, gostei do filme porque foge um pouco dos típicos enredos de filmes de terror e horror. Ah, e mais uma coisa: a Maddie às vezes é meio tonta!

Corpse Party 


Depois de ter recebido a visita das minhas três amadas Rainhas (uma é oriental e a outra é apaixonada pelo Japão), passamos uma tarde inteira vendo filmes. Um deles foi o filme japonês Corpse Party (não me perguntem qual o nome em japonês porque eu não vou saber falar). No começo eu fiquei meio receosa porque não estou acostumada a ver apenas rostos orientais no cinema. Mas não durou muito porque o filme é realmente muito legal e com um desfecho bem explicativo.

Ele é baseado num anime e, resumindo, trata de um grupo de amigos que, após terem feito uma simpatia chamada "Sachiko Para Sempre", são enviados para uma outra dimensão numa escola chamada Heavenly Host, onde já ocorreram assassinatos brutais e desaparecimento de estudantes e funcionários. Os estudantes tentam desvendar o mistério da escola assombrada, a fim de tentar sair daquele local e sobreviver as forças sombrias.

Noite das Bruxas Macabra 


Na véspera do Dia das Bruxas, uma babá é perseguida por um homem estranho. Com o passar do tempo, a relação entre eles começa a mudar. Isso é tudo que se pode dizer sobre esse filme, porque é só isso que acontece! Acho que ele nem deve ser incluso na minha lista de piores filmes, pois atingiu outro patamar de cinema ruim. A princípio pode parecer clichê, só que além de ser clichê, disso é arrastado, com uma história sem graça, atuações péssimas, um final idiota. É péssimo!


Alguém já tinha visto algum dos filmes da minha lista? Quais foram os últimos filmes que vocês assistiram? Me indiquem mais filmes disponíveis na Netlix!

Isso é tudo, pessoal! Rainha Vermelha,

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI