Desculpe-me, mas isso já faz parte de mim


Nunca me considerei uma pessoa triste por estar sempre sozinha. Independência de companhia é algo que admiro. Eu gosto de pensar sozinha, decidir sozinha. Acho a necessidade que o ser humano tem de sempre querer estar com alguém algo totalmente... fútil. Uma fraqueza? Não sei. Talvez o que todos dizem, essa "fraqueza", seja algo que me ajuda, pois, por que, com tanta gente no mundo, eu busco companhia e consolo em alguém que não existe?

Qual é o meu problema? Aos 17 anos era de se esperar que eu já tivesse superado essa obsessão. Mas não é assim. Aqui estou eu, apaixonada, encantada por alguém que não existe, ou que so existe na minha imaginação (depende de quem sabe e do que acha).

Eu realmente não sei o que é isso. Uma alucinação? Sonho? Minha imaginação criando seres que não existe? Meu alter ego? Esse último é bem provável, porque ele é tudo aquilo que eu desejo ser um dia: confiante, ciente de suas qualidade, sincero, sarcástico... lindo. Acho que estou apaixonada por ele, ou, quem sabe, seja a imagem de personalidade daquilo que eu desejo ser. E, sinceramente? Pensar nisso me deixa arrepiada, me assusta, além de me fazer ter sonhos estranhos e fantásticos, por isso o deixo vir a hora que quiser. É mais tranquilizante e seguro quando ele está por perto.

***

Esse texto foi escrito há algumas semanas Através da escrita eu tentava entender o que exatamente acontece na minha cabeça. É algo extremamente pessoal. Por favor, não se assustem e não desistam de mim.

46 comentários :

  1. Está tão bonito, estou mesmo de coração cheio após ter lido! <3

    https://anafranciscayoutb.wixsite.com/anafranciscaserra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado <3

      Excluir
  2. Que texto lindo, é sempre bom colocarmos algumas coisas para fora e assim saber a opinão de outras pessoas. Eu sempre fui muito independente, mais cheguei a uma fase da minha vida que eu precisava de alguém para compartilhar meus medos, minhas necessidades, alegrias e outrtas coisas mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito brigada, chuchu. Também acredito que colocar as coisas pra fora é ótimo, mas, infelizmente, eu sou do tipo que prefere ajudar a ser ajudada... e eu sei que isso é errado :/

      Excluir
  3. Que maravilhoso ❤
    Sou apaixonada pro esses tipos de textos. Eu já me senti assim muitas vezes, agora eu já nem sei mais como me sinto aushaus
    Enfim, você é incrível, bem como a sua arte. Continue iluminando os meus dias com as suas peculiaridades, por favor 😊❤

    tegabando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, minha linda *-* você é uma pessoa maravilhosa!!

      Excluir
  4. Oi, Lu.
    Mulher para com essa neura e coloca essas palavras/confusões pra jogo.
    Eu amei e me identifiquei em pequenos trechos.
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, florzinha (estou rindo com seu comentário, mas é uma risada boa) :)

      Excluir
  5. Que bom que você é sincera consigo mesma, n digo que entendo completamente mas é bom que se sinta segura e à vontade de compartilhar no seu cantinho <3
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me sinto totalmente segura aqui <3

      Excluir
  6. Oi Lu! Escrever assusta mesmo, mas assusta mais quem escreve do quem lê. Lembro quando publiquei o primeiro texto no blog e tinha esse mesmo receio que você, de assutar os outros, mas quem estava assustada na verdade era eu. É porque faz tão bem escrever, é a nossa personalidade ali, em algumas linhas. A nossa essência. Quem realmente somos por baixo de todas as camadas com as quais nos cobrimos. E expor isso para todo mundo ver, isso assusta mesmo. Seu texto está maravilhoso! Continue compartilhando o que sente por aqui! É bom para quem escreve e bom para quem lê e se identifica ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amora :) realmente, escrever sobre o que estamos sentindo assusta MUITO! Mas a questão é que eu me sinto suficiente bem e confortável para compartilhar grande parte das minhas louras aqui. Obrigada por tudo <3

      Excluir
  7. Cara, quando eu era adolescente eu também inventava umas historias muito bizarras na minha cabeca. Eu só fui deixando aquelas coisas para tras quando eu comecei me relacionar com mais amigos, pessoas diferentes e dai que eu acabei esquecendo tudo aquilo e ficou em outra parte da minha vida.
    Mas eu tenho que ser sincera, isso nao é bom para voce.
    Como eu nao sou psicologa, eu sempre recomendo as pessoas irem a um especialista (a todo mundo) por que um pode colocar estas coisas para fora e procurar o verdadeiro por que disso tudo. Mas procure alguem que te entenda, tem uns que nao sao muito recomendaveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se tem algo a ver com o fato de eu ainda ser adolescente, mas sim, como você disse, minha dificuldade de se relacionar de qualquer forma com outras pessoas. Culpa da ansiedade: sempre sinto que não estou me RELACIONANDO direito! E, sim, eu pretendo procurar alguém que possa me ajudar... ou até mesmo seguir por um caminho que vai me ajudar a entender tudo isso :)

      Excluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Oi Luh! Me assustar e desistir?? Never, sugar pie! <3
    Eu amei esse texto, é curtinho e me fez pensar em tanta, mas tanto coisa que você nem faz ideia. Você tem mais maturidade que muita gente com muitos anos a mais no calendário que você, mas não se preocupe com isso, porque uma coisa não tem, de fato, tão a ver com a outra.
    Eu acho que somos idealizadores contínuos, criadores de expectativas e desejos que alimentamos em nosso âmago, por ou sem querer. Ter consciência do que quer, do que deseja, do que almeja, sonha e faz crer que pode ser, é meio caminho andado para realizar. <3
    Sempre adoro seus textos, nem preciso repetir, né?! rs <3
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê, minha florzinha, muito obrigada <3 Eu fico feliz demais em saber que gostou do texto, pois você escreve BEM DEMAIS! Eu sou leiga nesse assunto de escrever e colocar sentimentos para fora dessa forma... mas eu tento, e também tento entenderas confusões que tem na minha cabeça :)

      Excluir
  10. Engraçado Luana, acontecia o mesmo comigo quando eu tinha sua idade! No meu caso, era um menino chamado Leonardo. Comecei até mesmo a escrever a história dele, como num livro. Eu era e ainda sou completamente apaixonada por ele, embora ele só exista na minha cabeça. Acontece que agora o Leonardo tem sumido um pouco. Conheci pessoas bacanas que me fazem companhia, mesmo que com pouca frequência. Não passo mais tanto tempo sozinha, mesmo que consiga viver assim numa boa. Acho que o Leonardo era justamente uma tentativa de tapar esse buraco causado pela solidão. Não que isso fosse algo ruim, no fim, eu percebi que eu era o Leonardo, e tudo que eu gostava nele, fazia parte de mim! Mesmo que eu não fosse exatamente aquela pessoa, ele era uma criação minha, e tinha saído de mim. Talvez fosse como um alter ego mesmo, não sei dizer.

    Não sei se isso é ou não é saudável, no meu caso não me fez mal, então não vejo problema. Às vezes falo muito raramente com o Leonardo, mas ele costuma aparecer um pouco, e às vezes eu até tento chama-lo, mas sem sucesso. Outras pessoas tomaram um pouco o lugar dele, mas ele continua por aí pra quando for preciso.

    Imagino que a gente esteja falando da mesma coisa, não tenho certeza se isso acontece com todos, nunca falei disso pra ninguém. É bom sabe que não sou a única :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se é porque você é uma pessoa bem perceptiva, ou por conta da sua faculdade, mas você conseguiu resumir de forma boa o que eu só deixei subentendido no texto. E também já é a segunda pessoa que diz que, talvez, isso acabe quando eu começar a me entrosar mais com as pessoas. É, talvez... quem sabe? :)

      Excluir
  11. É estranho eu me identificar...?! Sim, talvez. Mas talvez isso aconteça com mentes criativas, talvez seja o natural.
    De qualquer jeito, já tive muitas fases me perguntando as mesmas coisas.
    ReginaKadov Blog // Follow // FB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, sim, também já colocaram a culpa de tudo isso na minha mente interativa/criativa :)

      Excluir
  12. Fraqueza coisíssima nenhuma! Estar consigo mesma e estar bem com isso, independente dos motivos e do que há por trás disso, é MARAVILHOSO!
    Eu acho que muitas vezes idealizamos certas coisas - e pessoas - na vida. E isso pode ser bom! Claro que temos que ter NOÇÃO de que é uma idealização e que o mundo ideal não existe, mas se não tivermos expectativas altas para tudo, não vamos chegar lá em cima. Decepção é ruim, mas é superável, ajuda a crescer, mas valorização do que nos faz feliz ajuda ainda mais, e em tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que eu seja a pessoa que idealiza certas coisas até demais, mas que também tem noção que essa ideia perfeita que crio está somente na minha cabeça. Acho que é por conta disso que eu me frustro com facilidade... faz parte, não é? Eu me acostumei com isso :)

      Excluir
  13. Oie nossa adorei ouvir seu coração, eu também acho desnecessario essa historia de só é feliz quem esta com outro alguem, eu gosto de ficr sozinha com meus pensamentos as vezes confusos admito,e ouvir minhas musicas e assistir minhas series no meu quarto sozinha, eu mim coaidero feliz, apesar de não ter uma companinha, adorei seu texto, muito sincero. Sucesso, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado, chuchu. É bom encontrar alguém que se identifica <3

      Excluir
  14. Esse texto me fez pensar em algumas vezes que senti algo semelhante a isso. Esse texto é bem para fazer a pessoa para para pensar e olhar para dentro de si.
    www.livrosenerdicesblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Estar sozinho é diferente de ser sozinho. Eu prefiro estar só também. E sou uma pessoa bastante autossuficiente, então não preciso de outra pra me "completar". Como costumo dizer pra minha mãe, a minha metade da laranja eu já chupei. Isso é normal, e é ótimo. Essa necessidade e dependência de outra pessoa só traz mal, expectativas frustradas e etc. O problema é que idealizações também costumam ser perigosas. Acredite em si mesma e nos seus sonhos, mas busque ser consciente de onde está pisando. XD

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei a sua essa de "já ter chupado a metade da laranja", haha. Vou aderir, pois é uma verdade minha também. Eu estou bem. Completa? Talvez. Pode ser que eu descubra quando entender o que é essa confusão na minha mente <3

      Excluir
  16. Oi Luh, tudo bem?Já falei algumas vezes com você sobre ser diferente das outras pessoas. Cada um é um mundo em particular, tem seus próprios pensamentos, sentimentos, seus sonhos. O fato de querer fazer as coisas sozinha ou se sentir melhor assim não te faz pior do que aquelas pessoas que são mais sociáveis. Já me disseram uma vez que eu podia ser autista devido a minha individualidade, por não dividir sentimentos, por querer fazer algumas atividades sozinha, trabalhos de faculdade, ou preferir ficar no meu canto muitas vezes. Temos o direito de sermos como somos concorda? Fique tranquila e siga sendo assim tão peculiar e especial. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, florzinha :)

      Li uma frase uma vez que dizia que cada um de nós é um universo. Eu acho isso incrível, e admiro autossuficiência, mesmo algumas pessoas considerando ("nos" considerando) ~estranhas. Faz parte <3

      Obrigada pelo carinho :*

      Excluir
    2. Que lindo texto, gostar de estar sozinha não é errado, é uma dádiva que poucos tem, imagine que chato seria se dependêssemos de pessoas o tempo todo. Eu também gosto de ficar só às vezes com meus pensamentos, tirar minhas próprias conclusões sobre a vida e perceber que estar sozinha é a melhor maneira que conhecer a si mesmo. :)
      Continue assim, sucesso, beijos!!
      http://bel-somostaojovens.blogspot.com

      Excluir
  17. Texto muito bom, amei.
    As pessoas têm uma obsessão de sempre estar junto de alguém.
    A melhor companhia que podemos ter em primeiro lugar e a nossa mesma.
    Beijos da Tati

    ResponderExcluir
  18. Lu, qualquer um que desistisse de você por conhecer o que se passar nos confins da sua mente não merece a pessoa única que você é! Não vou dizer que te entendo porque, olha... eu não entendo. Mas eu gostaria de poder entender, de te conhecer melhr, porque cada pouquinho que conheço de você me fascina! Você é incrível, garota, e nunca deixe que te digam o contrário.
    Abraços,
    Gislaine | Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, minha lindinha, seu comentário me deixou imensamente feliz <3 muito obrigada por todo o carinho!

      Excluir
  19. Olá!!! É algo bem pessoal. Pelo que compreendi, você busca por alguém que lhe complete, que seja especial, que lhe entenda e dê alguma força que você precisa. Saiba te ouvir, te colocar no colo e te guiar. Acredito que todos em algum momento também tem essa necessidade de se sentir completos com alguém. Desejo sorte. bjooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não exatamente esse. Eu me sinto completa comigo mesma, mas, às vezes... só às vezes... eu sinto falta de ter alguém para me encorajar nas coisas que eu gosto. Alguém pra me ~atirar do precipício~ porque sabe que eu consigo voar. Como, até hoje, ninguém fez isso, eu busco em alguém que não existe...

      Excluir
  20. Que testão da porra!!!
    Não querendo te dar spoiler mas sinto ainda as mesmas coisas aos 30... É necessário sonhar com o ideal pois, só assim chegamos pelo menos perto de alguém interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo visto, vou continuar "sonhando" por mais algum tempo... o.O

      Excluir
  21. Que lindo ❤
    Você escreve super bem, é apaixonante!

    ResponderExcluir
  22. você escreve muito bem, toda subjetiva e poética! Parabéns pela escrita!

    ResponderExcluir
  23. Bem... eu queri era não precisar de ninguém pra nada. O fato de precisar já me deixa triste. Se pudesse, viveria sozinha, tendo companhia somente quando eu quisesse, mas as vezes fico confusa. Eu quero estar sozinha, e quando estou sozinha, quero companhia... acho que sou estranha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós somos ~estranhos~ e temos nossas controvérsias :)

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)